Belo Horizonte, 16 de dezembro de 2018.
Principal / A tragédia anunciada
A tragédia anunciada

Uma das maiores tragédias acontecidas em território brasileiro, o incêndio na boate Kiss, localizada no centro da cidade de Santa Maria, teve início na madrugada de domingo, 27 de janeiro, vitimando até esta data, 235 pessoas, na sua maioria, universitários gaúchos, alunos da UFSM e ainda, 13 militares, sendo oito integrantes do Exército e cinco da Força Aérea, a saber:

. Capitão Médica DANIELLA DIAS DE MATOS, do Hospital Central do Exército (Rio de Janeiro-RJ); . 1º Tenente de Cavalaria LEONARDO MACHADO DE LACERDA, do 1º Regimento de Carros de Combate (Santa Maria-RS); . 2º Ten Comunicações BRADY ADRIAN GONÇALVES SILVEIRA, da 13ª Companhia de Comunicações Mecanizada  (São Gabriel-RS); . 3° Sargento de Cavalaria DIEGO SILVESTRE, do 8° Regimento de Cavalaria Mecanizada - (Uruguaiana-RS); . Cabos  ROGÉRIO FLORIANO CARDOSO, do 29º Batalhão de Infantaria Blindado (Santa Maria-RS) e LUCAS LEITE TEIXEIRA, do 3º Grupo e Artilharia de Campanha Auto Propulsado (Santa Maria-RS); . Soldados LEONARDO DE LIMA MACHADO, do 1º Regimento de Carros de Combate (Santa Maria-RS) e EP LUCIANO TAGLIA PIETRA ESPIRIDIÃO, da 3ª Companhia de Comunicações Blindada (Santa Maria-RS).

Da Infantaria da Aeronáutica foram vítimas os seguintes militares da Base Aérea de Santa Maria:

. Sargento LUIS CARLOS LUDIM . Soldados  GIOVANI KRACHENBERG SIMÕES, LEANDRO NUNES DA SILVA, RODRIGO DELLINGHAUSEN e  RHUAM SHERER DE ANDRADE.

É de destacar a coragem e o desprendimento do tenente Leonardo Machado de Lacerda e do cabo Lucas Leite Teixeira, que após salvarem algumas pessoas, retornaram à boate em chamas para tentar resgatar outras vítimas da tragédia e não retornaram, sacrificando suas próprias vidas. Esses, sim! São verdadeiros heróis, honrando a farda que vestiam, servindo de exemplo e orgulho para os seus companheiros.

Como sempre, a mídia aparelhada, venal e vendida, não se pronunciou sobre o desencadeamento imediato de uma ação militar no socorro às vítimas. Os primeiros soldados da 3ª Divisão de Exército, chegaram ao local quando o prédio ainda fumegava e que mais parecia ter sido alvo de um grande atentado. Helicópteros preparados para o transporte de feridos, equipes especializadas e ambulâncias em condições imediatas de emprego, já na mesma madrugada, graças a rápida intervenção e providências do Comando da 3ª DE e da Base Aérea de Santa Maria. 64 médicos da Aeronáutica, especialistas no atendimento a queimados, traumatologistas e intensivistas, com o apoio de suas equipes de enfermagem, fizeram a diferença atendendo e transportando os sobreviventes para outros hospitais e UTIs.

Na ponte aérea entre Santa Maria e Porto Alegre – os Blackhawks pousaram no Parque Farroupilha, ao lado de dois grandes hospitais da Capital gaúcha. (internet – Roberto Godoy/Carlos Lima)

Após a porta arrombada e o leite derramado, surgem os salvadores da pátria, palpiteiros, entendidos, aproveitadores, especialistas em segurança e como não podia deixar de ser, os políticos, para fazer prose-litismo diante da tragédia.

Bastava que a lei fosse cumprida, para que fatos como este não acontecessem jamais. Os principais responsáveis pela tragédia, são aqueles que não a cumpriram.

O major bombeiro de Brigada Militar, não pode falar à imprensa, sumiram os computadores que filmavam dentro da boate por ocasião do incêndio, os extintores não funcionaram e/ou não existiam em número suficiente, no dia seguinte foi tudo revirado antes mesmo que as investigações da perícia fossem concretizadas. Quem será o maior responsável: o governo do Estado (PT), do Município (PMDB), o proprietário do local ou os componentes do conjunto musical? Ou a fatalidade será responsabilizada em lugar da omissão, impunidade e corrupção de pessoas, geralmente agentes do Estado, que criam dificuldades para "vender" facilidades?

Por trás desta tragédia, deve haver algo muito mais sério do que se imagina. Horas após o ocorrido, um séquito de petistas “cinco estrelas”, já estava na cidade para prestar solidariedade às famílias dos que morreram: Dilma, Tarso Genro, Alexandre Padilha, ministro da Saúde (?) e os deputados federais Marcos Maia e Paulo Pimenta, ambos do PT e mais um bando de oportunistas.

Por pouco essa turma não chegou antes das equipes de socorro. Na ocasião, o fato não chamou tanta atenção. Agora, porém, começam a surgir explicações para tanta celeridade no “apoio às vítimas”.

Se forem confirmados as verdadeiras razões para a presença dessas “autoridades” em Santa Maria, então estaremos diante da evidência de que somos governados não apenas por corruPTos, mas por sanguinários déspotas, disposto a tudo!

E bastava somente – cumprir a lei!

Quem será o responsável pela morte dessas 235 pessoas? O governador do Estado e/ou o prefeito de Santa Maria, por não fazerem cumprir a lei?

Palavras-chaves: tragédia, anunciada, incência, boate, kiss, Santa Maria
Copyright © 2013-2015. Todos os direitos reservados.